edição digital

ALCOBAÇA: A maçã continua a ser rainha

09/10/17 REGIONAL Imagem

Indicadores positivos

Os últimos dados semestrais do Instituto Nacional de Estatística recolhidos pelo Observatório Social do Município de Alcobaça apontam para uma balança comercial positiva de cerca de 45 milhões de euros, números que contrastam com a realidade do Oeste e do País que registam balanças comerciais negativas.

No que diz respeito ao rácio entre a constituição e dissolução de empresas, registou-se, no primeiro semestre de 2016, face ao período homólogo deste ano, um abrandamento no número de empresas criadas (-5) mas sobretudo um acentuado decréscimo de empresas dissolvidas (-40).

Destaque ainda para a redução significativa do número de pessoas inscritas no Centro de Emprego de Alcobaça quando comparados os primeiros seis meses de 2016 e de 2017. Ao todo registaram-se menos 376 indivíduos inscritos no IEFPP - Instituto de Emprego e formação profissional, o que representa um decréscimo de mais de 20%.

São números que compravam a atual saúde financeira do concelho de Alcobaça com uma clara tendência de recuperação económica.

 Principais setores

 Agricultura

Em paralelo com a histórica e pioneira industrialização do concelho do Alcobaça, labora um forte e modernizado setor agrícola que tem na fruta e mais recentemente no vinho, os seus principais produtos.

No que diz respeito à fruta, o destaque natural vai para a Maçã de Alcobaça cuja produção prevê um crescimento na ordem dos 50% face ao ano anterior.

O setor vitivinícola no concelho tem registado um assinalável ressurgimento depois de décadas de declínio. O trabalho da Adega Cooperativa de Alcobaça e da Quinta dos Capuchos tem contribuído decisivamente para este reposicionamento de Alcobaça como produtor de vinhos, cuja excelência já mereceu diversas distinções nacionais e internacionais.

Destaque ainda para a significativa produção local de Pera Rocha do Oeste, um dos mais icónicos frutos de toda esta região oestina.

 Agropecuária

A produção e exploração de carne suína é também um dos ex-libris do concelho, com dezenas de empresas a laborar neste setor. Destaque para a aposta na produção de carne de Malhado de Alcobaça, a 3ª raça suína autóctone portuguesa, a par das raças Alentejana e Bísara, que até há bem pouco tempo esteve em perigo de extinção.

A raça suína Malhado de Alcobaça está a ser preservada graças ao trabalho levado a cabo por um conjunto de produtores, da Federação Portuguesa das Associações de Suinicultores (FPAS), da Associação dos Agricultores da Região de Alcobaça e da Câmara Municipal de Alcobaça, que têm desenvolvido esforços com vista à divulgação, certificação e registo da marca.

 Moldes

Nos últimos anos, o concelho tem conseguido captar um conjunto de empresas de moldes, um setor em franca expansão. A freguesia de Pataias e Martingança tem se tornado num verdadeiro polo de inovação tecnológica graças a esta indústria de ponta cujas exportações mais do que triplicaram nos últimos 20 anos. Os moldes e os plásticos são, de resto, dois setores reconhecidamente responsáveis pelo desenvolvimento de toda a indústria portuguesa.

 

Calçado e Marroquinaria

Dentro desta vaga empreendedora, o calçado e a marroquinaria têm-se destacado no plano nacional e internacional. Se o setor tem grande predominância no norte do país, a sul não se encontra outro cluster com a dimensão e representatividade da Benedita. O contributo da Benedita no setor permite a Portugal ser um dos três maiores produtores de calçado na Europa, a par de Espanha e Itália.

Por seu turno, a marroquinaria tem vindo a registar um assinalável crescimento em especial na sua vertente de assessórios de moda e artigos de pele que são cada vez mais procurados. É um setor que acompanha as novas tendências de mercado e que tem na Benedita uma considerável atividade.

 Doçaria Conventual

A tradição ancestral da doçaria conventual gerou toda uma indústria que todos os anos é celebrada na Mostra Internacional de Doces & Licores Conventuais, o maior evento um dos maiores e mais importantes eventos culturais e gastronómicos de todo o país. A doçaria conventual tornou-se num chamariz turístico de grande importância a avaliar pela crescente procura pelas principais pastelarias alcobacenses por parte dos visitantes.

Extração de pedra

A Serra de Aire e Candeeiros oferece excelentes condições para a implantação de uma forte indústria de extração de pedra. Um setor de grande vocação exportadora e que muito contribui para o PIB concelhio.

 Cerâmica

O setor da cerâmica foi dos mais afetados com a recente crise económica, mas encetou nos últimos anos um assinalável processo de recuperação da sua prevalência no panorama industrial local. o setor da cerâmica continua a ser um elemento vital para o desenvolvimento económico e social da região. Não só pelo legado histórico e patrimonial que detém (proveniente das antigas fábricas), como através da pujança que mantêm as atuais empresas, tendo este fator repercussão no ensino e na profissionalização a nível nacional.

 Outros setores

A diversidade agroindustrial do concelho de Alcobaça estende-se ainda, por exemplo, à cutelaria e à extração de algas uma atividade de grande tradição em São Martinho do Porto. Este verdadeiro caleidoscópio de setores constitui uma prova do espírito empreendedor dos alcobacenses.

MUNDO PORTUGUÊS - ASSINE JÁ

Medalha de Mérito das Comunidades


Maior Onda surfada do Mundo


Mundo Português TV


Mundo Português APP





Meteorologia

Marcas Grupo