edição digital

Vimeiro regressa ao século XIX com Recriação Histórica & Mercado Oitocentista

11/07/17 TURISMO Imagem

Entre 14 e 16 de julho, o Vimeiro, suas ruas e campos e suas gentes regressam ao século XIX para recriar a Batalha do Vimeiro, vencida pelas tropas anglo-portuguesas que puseram assim fim à primeira Invasão Francesa de Portugal. Quem visitar o Vimeiro vai encontrar um vasto conjunto de atividades mas também para uma lição de história…

Durante três dias um vasto e eclético conjunto de atividades temáticas esperam os mais de dez mil visitantes que a Junta de Freguesia do Vimeiro e a Câmara Municipal da Lourinhã prevêem receber para a Recriação Histórica (da Batalha do Vimeiro) & Mercado Oitocentista.
Entre 14 e 16 de julho o Vimeiro recua até ao início do século XIX para contar como se travou a batalha que marcou a segunda restauração da independência de Portugal e mostrar como se vivia, como eram os mercados e a gastronomia e que atividades de animação e culturais existiam há 200 anos atrás.
“Nestas comemorações poderá encontrar ofícios da época, animações de rua, teatro, concertos, workshops para os mais pequenos, visitas guiadas ao Centro de Interpretação da Batalha do Vimeiro, mostra e venda de produtos e gastronomia”, aprentam a organização do evento, que está a cargo da Câmara da Lourinhã, Junta de Freguesia do Vimeiro, Centro de Interpretação da Batalha do Vimeiro e Associação para a Memória da Batalha do Vimeiro.
Esta terceira edição da Recriação Histórica & Mercado Oitocentista deverá contar com cerca de duas centenas de figurantes, repartidos entre os ‘comerciantes’ do Mercado Oitocentista e os ‘militares’ que vão recriar a própria Batalha do Vimeiro, ocorrida a 21 de agosto de 1808, divulgou a organização numa conferência de imprensa no Centro de Interpretação da Batalha do Vimeiro.
Só na recriação das contendas da Batalha estarão mais de 150 figurantes, que integram várias associação de recriações de Portugal, Espanha e França. Da Associação para a Memória da Batalha do Vimeiro estarão 30 figurantes. Já o Mercado Oitocentista contará este ano com 70 expositores, que vão mostrar profissões e ofícios - como a olaria, a carpintaria ou a tecelagem de lã, jogos de guerra e manobras militares e confecionar produtos gastronómicos existentes à época.
“Este evento tem vindo a ganhar força todos os anos”, afirmou Fernando Pereira de Oliveira. O vereador da Câmara Municipal da Lourinha, que detém, entre outros pelouros, o da Intervenção Social e Cultural e do Turismo e Competitividade, referiu ainda que os objetivos deste evento passam por “manter viva a simboligia da Batalha”, sem se esquecer o fator de atração turística que representa para a freguesia em particular e o concelho em geral.
Para dar ao município maior capacidade hoteleira, está em fase de execução um hotel com mais de 100 camas, havendo ainda “apetência para se vir a instalar mais unidades hoteleiras” no concelho, assegura o vereador. Sem apoios externos, apenas de locais, o evento está este ano orçado em mais de 30 mil euros.
Fernando Pereira de Oliveira explica que a autarquia quer “criar condições de consolidação deste evento para depois apresentar candidaturas de apoio ao Turismo do Centro de Portugal e à Oeste CIM (Comunidade Intermunicipal do Oeste).
Rui Martins dos Santos, presidente da Junta de Freguesia do Vimeiro, refere que para além do número de visitantes e do que estes representam para o comércio e a hotelaria locais, o evento representa ainda “uma forma de rendimento também para as associações que participam”.
“E tem havido um efeito multiplicador e de regresso de visitantes”, em outras alturas do ano, sublinha.

Batalhas, uma ceia e a vista de D. Manuel II
Além da zona de exposição, o evento integra animações de rua, desfiles de época, espetáculo de malabares de fogo, concertos, encenações, manobras militares, workshops e visitas guiadas ao Centro de Interpretação da Batalha do Vimeiro, junto ao qual decorre o evento.
A Recriação Histórica & Mercado Oitocentista abre ao fim da tarde de 14 de julho com a encenação da visita do rei D. Manuel II ao Vimeiro. O último rei de Portugal deslocou-se à localidade cem anos após a batalha, para inaugurar o monumento evocativo que pode se visto no largo do Centro Interpretativo. Segue-se outro dos pintos altos: a recriação da ceia real oferecida em honra do monarca. O primeiro dia encerra com um espetáculo de malabares de fogo, junto ao monumento do 1º centenário.
A 15 de julho o dia começa com o hastear das bandeiras, pelas 10h, seguido de um peddy paper pelas ruas de Vimeiro e um desfile dos grupos de recriadores até aos Paços do Município, onde o Presidente da Câmara dará as boas vindas a todos os presentes. À tarde, os visitantes poderão desfrutar de uma visita guiada encenada ao CIBV, pelas 15h, seguida de uma demonstração de manobras militares livres. Haverá ainda um workshop sob o tema ‘Dançar em tempo de guerra’ pelas 16h30, e um concerto do Coro Municipal da Lourinhã, pelas 18h.
Uma hora depois, a organização convida a participar no Baile Oitocentista a que se seguirá um dos pontos altos do programa, às 22h, com a Recriação do Combate Noturno da Batalha, no próprio campo onde decorreu.
O último dia começa com o hastear das bandeiras e cerimónia de homenagem aos mortos em combate, pelas 10h, ao qual se seguirá uma demonstração de Manobras Militares pelas 10h30. Às 12h00, a Recriação Histórica da Batalha de Vimeiro, seguida do ‘Assalto à Igreja’ e, pelas 15h, os visitantes poderão participar em vários Jogos de Guerra do Período Napoleónico.
Para quem preferir artes plásticas, o workshop de pinturas de miniaturas napoleónicas, também pelas 15h, e o de modelagem de barro, pelas 16h, serão outras opções.Para terminar o dia, a organização propõe concertos dos grupos Manuk a ZaraGaitaS seguidos da cerimónia de arriar das bandeiras.

A batalha do Vimeiro
A Batalha do Vimeiro foi travada no dia 21 de agosto de 1808 entre as topas do exército francês, comandadas por Junot, e o exército anglo-luso, liderado por Sir Arthur Wellesley, futuro Duque de Wellington. Após os combates na Roliça no dia 17 de agosto, Wellesley marchou para a zona do Vimeiro a fim de fazer o desembarque de reforços na Praia de Porto Novo.
As tropas anglo-lusas mantiveram uma posição defensiva no Vimeiro, aproveitando a geografia do terreno. Os franceses, reunidos em Torres Vedras, decidiram tomar a ofensiva, chegando à Carrasqueira na manhã de 21 de agosto. A partir desse ponto, Junot deu ordem de marcha para a batalha. Sem conhecimento da situação do flanco esquerdo, duas brigadas francesas confrontaram os britânicos nos altos da Ventosa. Uma vez mais, os franceses viram-se forçados a recuar.
A Batalha do Vimeiro foi uma vitória inegável do exército anglo-luso sobre as forças de França, pondo termo à Primeira Invasão Francesa em Portugal. Junot perdeu cerca de 2000 homens, entre mortos, feridos e prisioneiros e o exército anglo-luso cerca de 700.
Sobre o futuro deste evento, Rui Martins dos Santos defende que a Recriação Histórica & Mercado Oitocentista “ganhe raízes sustentadas para garantir a sua continuidade, independentemente das pessoas que estiverem a liderar a organização”.
Já o vereador Fernando Pereira de Oliveira sublinha a importância da aposta que está a ser dada numa maior divulgação desta atração da freguesia do Vimerio e do município da Lourinhã, sede de um concelho que tem “atraído cada vez mais estrangeiros para a comora de segunda habitação”.

Como chegar
Na página da Batalha do Vimeiro na internet (www.batalhadovimeiro1808.pt) os visitantes têm disponíveis informações sobre o evento, entre as quais as maneiras de chegar à vila

Para que for a partir do Norte do país:
• Entre na A1
• A seguir à estação de serviço de Pombal saia da autoestrada na indicação para Pombal
• Entre na A 17 e continue pela A8 no sentido Lisboa
• Siga pela Saída 9 em direção ao Vimeiro
• Continue em frente
• Curva ligeira à direita na N8-2;
• Vire à esquerda
• Curva ligeira à direita
• Vire à esquerda em direção à Rua do Cabecinho
• Curva acentuada à direita na Rua do Cabecinho
• Vire à direita na Rua do Monumento.

A partir do Sul:
• Siga em direcção à A8;
• Siga pela Saída 9 em direção ao Vimeiro;
• Continue em frente;
• Curva ligeira à direita na N8-2;
• Vire à esquerda;
• Curva ligeira à direita;
• Virar à esquerda em direção à Rua do Cabecinho;
• Curva acentuada à direita na Rua do Cabecinho;
• Vire à direita na Rua do Monumento.

Autocarro:
Consule os horários das ligações a partir da Lourinhã na Barraqueiro
Tel: 217511600 Fax: 217511670
Web: www.barraqueirotransportes.pt
E-mail: rodoest@rodoest.pt

Comboio:
A estação de Torres Vedras (a cerca de 14,5 km) é a mais próxima do Vimeiro. Consulte os horários da CP em www.cp.pt
Na página Transportes poderá encontrar a melhor alternativa para efectuar a ligação Torres Vedras / Lourinhã.

Ana Grácio Pinto

MUNDO PORTUGUÊS - ASSINE JÁ

Medalha de Mérito das Comunidades


Maior Onda surfada do Mundo


Mundo Português TV


Mundo Português APP





Meteorologia

Marcas Grupo