edição digital

O Grupo Hoteleiro de nível mundial com capital totalmente português

17/05/17 ECONOMIA Imagem

Vila Galé é hoje um nome incontornável na hotelaria mundial. Nasceu português e permanece de capital inteiramente português, ocupando um lugar cimeiro no ranking mundial das maiores empresas de hotelaria. Agora nascem novos projetos, tanto em Portugal como no Brasil que visam reforçar a posição confortável do grupo. Foi o que fomos saber com o administrador do grupo Gonçalo Rebelo de Almeida.

O Grupo Vila Galé sempre se assumiu como uma empresa de referência na indústria hoteleira, o capital continua a ser integralmente português?
Sim, o capital da Vila Galé é, e sempre foi, integralmente português.

Qual é o posicionamento atual no ranking mundial das empresas hoteleiras?
A Vila Galé ocupa a 207ª posição no ranking mundial das maiores empresas de hotelaria, segundo a mais recente avaliação da revista Hotels.

2016 foi um ano de excelência para o turismo português. O Grupo Vila Galé beneficiou com esse bom ano?
O ano passado foi um dos melhores para o turismo em Portugal e a hotelaria beneficiou do bom desempenho do setor. Reflexo disso, em 2016, as receitas da Vila Galé foram superiores a 170 milhões de euros. Em Portugal, onde temos 20 hotéis de norte a sul do país e na Madeira, subiram 15% face a 2015. E no Brasil, onde somos o maior grupo de resorts, aumentaram 6% comparativamente ao ano anterior. Foi um ano muito positivo em que se consolidou a recuperação das perdas registadas durante a crise económica e financeira em Portugal e onde o Brasil acabou por não contribuir negativamente, mesmo apesar da conjuntura mais adversa que o país atravessa.

A partir do bom ano que foi 2016 antevê-se um 2017 também de excelência. Nasce aí a nova aposta na área dos eventos e casamentos nos hotéis Vila Galé?
Temos vindo a aumentar a nossa oferta para eventos, seja casamentos, reuniões empresariais, congressos ou até festas de anos para crianças, os aniversários NEP, que estamos a lançar. Destacaria as novidades associadas aos casamentos, já que nos hotéis dispomos de espaços adaptáveis para cerimónias civis ou religiosas, de produtos ‘chave na mão’ ou pacotes de serviços que podem incluir desde despedida de solteira, aluguer de salas ou zonas exteriores, copo-de-água, noite de núpcias, alojamento para os convidados e lua-de-mel, com preços desde 43€ por pessoa e descontos exclusivos consoante o número de serviços contratados. Criámos também uma oferta de rituais de beleza específicos para a noiva. Hotéis como o Vila Galé Ericeira, junto ao mar, o Clube de Campo, para eventos mais campestres, o Vila Galé Douro, mais intimista, o Vila Galé Collection Palácio dos Arcos, de cinco estrelas, ou o Vila Galé Albacora têm ambientes e enquadramentos ideias para este tipo de eventos.

Doze meses doze pratos é também um novo projecto Vila Galé. Em que consiste?
A forte aposta na gastronomia é um dos traços diferenciadores do grupo. Fazemos questão de divulgar os sabores portugueses e brasileiros, não só porque dessa forma damos a conhecer a tradição, a riqueza gastronómica e os produtos regionais dos países onde estamos presentes, mas também porque essa oferta enriquece as experiências que proporcionamos aos nossos clientes. É nesta lógica que, nos 19 hotéis de quatro estrelas que a Vila Galé tem em Portugal, surge a iniciativa 12 Meses, 12 Pratos. Mensalmente, é incluída nas cartas dos restaurantes uma especialidade de determinada região de Portugal, disponível ao almoço e ao jantar. Por exemplo, janeiro foi dedicado à feijoada à transmontana. Em fevereiro, tivemos a Francesinha. Este mês está em destaque o choco frito com batata salteada. Secretos de porco com esparregado, arroz de polvo à algarvia, alheira frita com grelos ou feijoada de chocos serão as iguarias de junho, julho, agosto e setembro, respetivamente. Ainda quanto à gastronomia, aproveito para referir que aos fins-de-semana os hotéis Vila Galé também têm experiências gastronómicas diferentes. Aos domingos há cozido à Portuguesa no Vila Galé Porto e Coimbra. Há um buffet com sabores do mar no Vila Galé Ericeira, Vila Galé Cascais e Vila Galé Ampalius. E no Vila Galé Douro e Vila Galé Porto sugerimos um tradicional cabrito assado. Damos muita atenção a esta componente até porque a gastronomia e os vinhos estão também no ADN da Vila Galé, já que temos os vinhos e azeites Santa Vitória, que produzimos na herdade onde também está inserido o Vila Galé Clube de Campo, perto de Beja, no Alentejo, e que exportamos para vários países. Com tintos, brancos e rosés temos a gama Versátil, mais económica, com vinhos frutados e ideais para servir como aperitivo ou para acompanhar pratos leves, e a Gama Santa Vitória Reserva, cujos vinhos aliam castas nacionais e internacionais e estágio em barricas, tendo por isso, mais complexidade e longevidade. Além destes, de gama superior, temos ainda os vinhos Santa Vitória Monocastas e Grande Reserva, resultantes de vindima manual e fermentações lentas. E ainda o Inevitável, feito em anos excecionais com as duas castas que se destacaram mais. Este acaba por ser um vinho surpreendente e sempre diferente. Na herdade, apostamos ainda na produção de azeite virgem extra e estamos a investir na diversificação das plantações de frutas.


Que novos projectos tem o Grupo nomeadamente no Brasil e em unidades inovadoras que promovem a saúde e bem estar?
Temos seis novos projetos em curso. No Brasil, está já em construção mais um resort Vila Galé. Será em Touros, Rio Grande do Norte, e contempla 500 quartos, três restaurantes, spa Satsanga e centro de convenções, entre outras valências, num investimento de 100 milhões de reais (28 milhões de euros). Com este empreendimento, cuja abertura está prevista para setembro de 2018, reforçaremos a nossa presença no Brasil. Em Portugal, estão também a avançar o Vila Galé Porto Ribeira e o Vila Galé Sintra. O primeiro será um hotel de charme, com 67 quartos, que resultará da reabilitação de quatro edifícios na zona do Cais das Pedras, próximo da Alfândega do Porto, com vista para o Rio Douro. O segundo terá um conceito inovador na área da saúde e wellness vocacionado para famílias. Além de um hotel, este empreendimento na Várzea de Sintra – que tem a localização como uma das mais-valias por ser próximo do centro de Sintra, do Palácio da Pena e de várias praias – inclui um componente imobiliária e um revival spa, do qual os proprietários dos imóveis podem usufruir, além de poderem também usar as valências do hotel. Este spa terá programas personalizados para reeducação alimentar para adultos e crianças, anti-aging e de rejuvenescimento, anti-stress ou para deixar de fumar. Estarão também disponíveis check ups completos e consultas com nutricionistas ou de especialidades como dermatologia estética e médica, estomatologia e implantologia, osteopatia ou fisioterapia, sempre com acompanhamento de profissionais experientes e especializados. Lançamos recentemente as vendas de apartamentos T2 e T3 e esperamos inaugurar o hotel em Abril de 2018. Em fase de licenciamento, temos ainda o Vila Galé Serra da Estrela.

Recentemente, o grupo anunciou ainda que vai reabilitar o antigo convento de São Paulo, em Elvas, investindo cinco milhões de para o transformar num hotel com 64 quartos. Que outros projectos estão em carteira para conferir valor económico a velhas instalações com potencial?

Reabilitar e dar novos usos, economicamente viáveis a imobiliário que estava mal aproveitado tem sido uma estratégia seguida na Vila Galé. Foi isso que fizemos com o hotel Vila Galé Ericeira, com o Vila Galé Albacora, em Tavira, que era um antigo arraial onde viviam famílias de pescadores dedicados à pesca do atum, ou com o Vila Galé Collection Palácio dos Arcos, em Paço de Arcos, instalado num palácio do século XV, que recuperámos. Também o Vila Galé Rio de Janeiro resultou da renovação de uma antiga escola que estava em muito mau estado. Manter o património edificado também contribui para valorizar a nossa oferta turística e diversificar o nosso portfolio de hotéis. Estes imóveis têm uma história muito especial e quando escolhem ficar connosco, os hóspedes também querem ter essa experiência de ficar num hotel que tem algo para contar, que tem tradição e conteúdo. Ao investirmos no Vila Galé Braga, reabilitando o antigo hospital de São Marcos, e no Vila Galé Elvas, que será no antigo convento de São Paulo, em pleno centro histórico desta cidade alentejana, classificado como património mundial pela UNESCO, queremos proporcionar aos hóspedes essa experiência de, mais do que ficarem num hotel, terem uma estadia num imóvel histórico, com valor patrimonial.

Nota-se uma certa tendência de diversificação com projectos como Santa Vitória (vinhos e azeites) e Santa Vitória Frutas. São de fato projectos para além da hotelaria ou tratam-se de iniciativas para reforçar a vertente turismo?
Na verdade, esses projetos acabam por ter ambas as vertentes. Contribuem para alargar as áreas onde o grupo e as suas marcas estão presentes além da hotelaria. Mas também reforçam a vertente turística. Em torno da produção de vinho, por exemplo, é possível criar produtos e oferta turística ligada ao enoturismo, ao agro e ecoturismo, às vindimas. Já a vertente agrícola permite ter programas para as famílias no Vila Galé Clube de Campo, com visitas à horta pedagógica, alimentação dos animais que temos na herdade ou atividades equestres.

Qual tem sido o resultado do programa de fidelização do Grupo Vila Galé?
Continua a ter bastante procura e adesões, tanto em Portugal como no Brasil. Os clientes reconhecem que podem ter benefícios ao aderir, como acesso a promoções exclusivas e descontos no alojamento e serviços Vila Galé, com a vantagem de a adesão ser gratuita, bastando preencher o formulário disponível em qualquer hotel Vila Galé.

 

 

 

MUNDO PORTUGUÊS - ASSINE JÁ

Medalha de Mérito das Comunidades


Maior Onda surfada do Mundo


Mundo Português TV


Mundo Português APP





Meteorologia

Marcas Grupo