edição digital

Como vai ser a cerimónia de canonização dos pastorinhos

03/05/17 FÁTIMA Imagem

Este ano, o 13 de Maio, em Fátima, reveste-se de uma importância acrescida para os católicos. Celebra o centenário das aparições de Nossa Senhora aos três pastorinhos e terá como ponto alto a cerimónia de canonização de dois dos videntes, Francisco e Jacinta Marto, marcada para o início da missa das 10h, no dia 13.

O anúncio foi feito a 24 de abril em Roma, no Consistório Ordinário Público para o voto sobre algumas Causas de Canonizações: o Papa vai canonizar Francisco (1908-1919) e Jacinta Marto (1910-1920) no próximo dia 13 de maio, em Fátima, durante as cerimónias do centenário das aparições de Nossa Senhora aos três pastorinhos.
Será o culminar de um processo iniciado pelo então bispo de Leiria, D. José Alves Correia da Silva, a 30 de abril de 1952, um ano depois da trasladação dos restos mortais de Jacinta para a Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima. A canonização aconteceu após a aprovação, a 23 de março, de um milagre atribuído a Francisco e Jacinta: foi a última etapa de um processo, iniciado há 65 anos.
A canonização é a confirmação, por parte da Igreja Católica, de que alguém é digno de culto público universal, podendo ser apresentado aos fiéis como intercessor e modelo de santidade.
Atualmente a Igreja diocesana celebra a 20 de fevereiro a festa litúrgica dos beatos portugueses, data que coincide com a da morte de Jacinta Marto.

Uma “imensa alegria”
No dia do anúncio, os sinos repicaram em Fátima, o reitor do Santuário rezou uma ‘Avé-Maria’ e fez uma pequena oração de ‘Ação de Graças’ na Capelinha das Aparições.
“Alegramo-nos com esta notícia e damos graças a Deus por estes exemplos de santidade que nos são oferecidos”, disse o padre Carlos Cabecinhas. “Pedimos também neste lugar tão especial, a Capelinha das Aparições, a ajuda de Nossa Senhora para sabermos imitar o exemplo dos futuros santos Francisco e Jacinta Marto”, acrescentou ainda o sacerdote, antes de se cantar o hino dos pastorinhos na Capelinha das Aparições.
Pouco depois, a Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) referiu, num comunicado, a “imensa alegria” com que acolheu o anúncio de que Francisco e Jacinta serão feitos santos, em Fátima.
“O Centenário das Aparições, a canonização de Francisco e Jacinta Marto e a presença do Santo Padre entre nós são motivos maiores para estarmos todos, peregrinos na esperança e na paz, em sintonia de oração e de acolhimento do dom da santidade”, reiterou o padre Manuel Barbosa, porta-voz da CEP, acrescentando que “nunca é demais insistir na vocação universal à santidade”.
No mesmo comunicado foi ainda expressado o desejo de que “o exemplo de vida de Francisco e Jacinta Marto, agora apresentados a toda a Igreja como modelos e intercessores da santidade, contribua para intensificarmos a vivência da mensagem que Nossa Senhora do Rosário nos ofereceu em Fátima”.
A mesma alegria foi expressa também pelo Cardeal-Patriarca de Lisboa. “Mais viva fica ainda a celeste notícia que aí mesmo nos transmitiram”, assinalou D. Manuel Clemente numa mensagem através da rede social Twitter.
Já o reitor do Santuário de Fátima, assumiu que a canonização é o “ápice de todo o programa celebrativo do centenário”. O padre Carlos Cabecinhas sublinhou que a celebração festiva dos 100 anos das aparições seria sempre feita, mesmo sem canonização, mas “o facto deste reconhecimento eclesial ter lugar em Fátima, no dia 13 de maio, com a presença do Santo Padre, faz deste momento o ápice de todo o programa celebrativo do centenário”.
Por isso, a notícia da canonização a 13 de maio, durante a Peregrinação do Papa, foi acolhida com “profunda gratidão”. “Gratidão a Deus, que nos concede a graça de novos santos como modelos e intercessores; mas gratidão igualmente ao Santo Padre, que tomou a decisão de fazer a canonização neste lugar”, afirmou.
O reitor explicou ainda o sentido “muito especial” da decisão tomada no Vaticano, lembrando que ta beatificação destes dois pastorinhos em 13 de maio de 2000, também ocorreu em Fátima.
“Porque é este Santuário que custodia as suas relíquias; é neste Santuário que estão os seus túmulos; muito especial porque escolher Fátima para este ato solene da Igreja universal é reconhecer a importância mundial de Fátima e é igualmente reconhecer Fátima como verdadeira ‘escola de santidade’”, defendeu.

A canonização passo a passo…
A canonização de Francisco e Jacinta Marto vai decorrer na missa de 13 de maio, que terá início às 10 horas, no Santuário de Fátima. A cerimónia comecará logo após o cântico de entrada e a saudação inicial, proferida pelo Papa Francisco.
Os relicários em forma de candeias contendo as relíquias dos dois novos santos da Igreja Católica - uma madeixa de cabelo de Jacinta e um fragmento de osso da costela de Francisco - vão integrar o cortejo de entrada da missa, sendo colocados no altar, junto da imagem de Nossa Senhora de Fátima.
O transporte das relíquias dos mais jovens santos não-mártires da Igreja Católica será feito pela Irmã Ângela Coelho, Postuladora da Causa da Canonização de Francisco e Jacinta, e por Pedro Valinho, assessor da Postulação e atual director do Serviço de Peregrinos do Santuário.
Seguir-se-á a cerimónia de canonização dos dois Pastorinhos, a primeira realizada em Portugal, e que vai decorrer em português.
Depois da saudação inicial do Papa, o coro vai entoar o cântico Veni Creator Spiritus, assinalando o começo da cerimónia. O Bispo de Leiria-Fátima, D. António Marto, vai pedir ao Papa que inscreva Francisco e Jacinta no ‘Livro dos Santos’ e fará uma breve apresentação da biografia dos dois novos santos. O Papa convidará então os presentes a cantarem a ladainha dos santos.
No final, irá pronuncia, em português, a fórmula da canonização:
“Em honra da Santíssima Trindade, para exaltação da fé católica e incremento da vida cristã, com a autoridade de nosso Senhor Jesus Cristo, dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo e a nossa, após ter longamente refletido, invocado várias vezes o auxílio divino e escutado o parecer dos nossos irmãos no episcopado, declaramos e definimos como Santos os Beatos Francisco e Jacinta Marto, inscrevemo-los no Livro dos Santos e estabelecemos que em toda a Igreja eles sejam devotamente honrados entre os Santos”.
No final, os fiéis irão aclamar a proclamação com um cântico de júbilo, durante o qual um diácono vai incensar as duas relíquias.
Acompanhado pela Postuladora da Causa da Canonização de Francisco e Jacinta, o Bispo de Leiria, D. António Marto, irá depois agradece a proclamação e pedirá ao Papa que redija a Carta Apostólica relativa à canonização dos dois Pastorinhos.
O coro vai, de seguida, entoar o ‘Glória’, assinalando o fim da cerimónia e a continuação da missa. No final, as duas relíquias deixarão o altar com o andor da imagem de Nossa Senhora de Fátima e seguirão em cortejo até à Capelinha das Aparições, onde ficarão expostas até ao final do dia 13 de maio.
Estas reliquias vão depois regressar à Casa das Candeias, onde se encontram habitualmente, uma vez que as relíquias mais importantes de Francisco e Jacinta, os seus corpos, estão à guarda do Santuário, nos túmulos colocados nos dois lados do transepto da Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima.

Apoio aos peregrinos
O Santuário de Fátima vai reforçar este ano o apoio aos milhares de peregrinos que se deslocam a pé à Cova da Iria por altura das peregrinações aniversárias, que decorrem de maio a outubro.
A instituição prevê que o número “deve aumentar substancialmente” este ano, por se tratar do Centenário das Aparições. “Prevendo um afluxo de peregrinos a pé substancialmente superior (em 2016 foram assinalados 20 mil peregrinos), o Movimento da Mensagem de Fátima (MMF) e as restantes entidades envolvidas nesta área reforçaram a presença, em termos de postos e de voluntários”, refere uma nota divulgada na página oficial da visita do Papa a Fátima. O MMF assinala que “poderão ser 200 mil os peregrinos a pé”, ou seja, um númeor dez vezes superior ao registado no ano passado.
O Movimento, que tem a seu cargo a coordenação de assistência aos peregrinos a pé a Fátima nas peregrinações aniversárias, trabalha em colaboração com a Ordem de Malta, a Cruz Vermelha, os Bombeiros, os Escuteiros e a Associação dos Servitas de Nossa Senhora, e junto dele é possível encontrar médicos, enfermeiros e outros voluntários.
Uma das novidades para este ano é a assistência espiritual em todos os 70 postos de atendimento aos peregrinos geridos pelo MMF, distribuídos pelo país, mas com maior incidência no norte. Para poder acudir ao número elevado de peregrinos, foi também reforçado o número de profissionais de saúde, médicos, enfermeiros e outros, totalizando agora 1500 voluntários.
Entre outros locais, é possível encontrar postos de assistência aos peregrinos em Pinheiro de Bemposta, Albergaria-a-Velha, Malaposta, Sabugosa, Santa Luzia, Pedrulha, Almaça, Condeixa, Pombal, Barracão, Caranguejeira, Santa Catarina da Serra, Vendas Novas, Coruche, Almeirim, Pernes, Alcanena, Alcanhões, Riachos, Torres Novas, Minde, Mira, Figueira da Foz, Leiria e Aljubarrota.
No sentido de proporcionar um conjunto mínimo de condições aos peregrinos que vão a pé ao Santuário de Fátima, são postos à sua disposição alguns espaços para alojamento. O Posto de Acolhimento aos Peregrinos a Pé fica situado da Casa de Retiros de Nossa Senhora das Dores, junto ao Posto de Socorros. Em maio, abre no dia 9, às 15h, e não aceita reservas com antecedência: os peregrinos serão atendidos por ordem de chegada.
A dormida efetua-se em salões ou tendas militares, em colchões no chão com almofada, lençol e cobertor, e serão entregues senhas para que os peregrinos possam tomar sopa ao almoço e ao jantar e café com leite ao pequeno-almoço, informa o Santuário de Fátima.
Estes serviços são prestados aos peregrinos de forma gratuita e repetem-se em junho, julho e setembro (no dia 11 de cada um desses meses, às 09h) e em agosto e outubro (no dia 10, às 15h).

MUNDO PORTUGUÊS - ASSINE JÁ

Medalha de Mérito das Comunidades


Maior Onda surfada do Mundo


Mundo Português TV


Mundo Português APP





Meteorologia

Marcas Grupo