edição digital

V. Pouca de Aguiar vai construir um balneário termal para exploração das águas do Cardal

07/02/17 REGIONAL Imagem

O presidente da Câmara quer "um balneário termal, moderno e inovador que promova o turismo e a afluência de aquistas"

A Câmara anunciou esta semana que quer avançar com a construção de um balneário termal para explorar as águas do Cardal, um projeto de sete milhões de euros que inclusivamente já foi apresentado ao Governo.
O presidente da Câmara de Vila Pouca de Aguiar, Alberto Machado, referiu que se pretende “implementar um balneário termal que seja uma referência na Península Ibérica”. “Um balneário termal, moderno e inovador que promova o turismo e a afluência de aquistas tornando novamente Pedras Salgadas na rainha das termas”, sustentou o autarca.
O projeto envolve também as juntas de freguesia locais.
“Com verbas a rondar os sete milhões de euros, a construção do balneário permitirá a criação de vários postos de trabalho na região”, acrescentou ainda Alberto Machado.
A intenção do município de explorar as águas do Cardal surgiu depois de, em 1991, aquando de execução de uma pesquisa para o reforço de abastecimento e água à localidade de Sabroso de Aguiar, ter verificado que a água encontrada não era natural mas sim mineral gasocarbónica.
Posteriormente foi pedido à Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), em Vila Real, um estudo sobre a “Promoção e Valorização do Recurso Hidromineral Gasocarbónico do Cardal”.
A autarquia disse que está agora “garantida a qualidade da água para fins terapêuticos ou exploração industrial”.
Ainda durante este mês de fevereiro, o município vai solicitar um parecer à Direção Geral de Saúde e, de seguida, estará em condições de efetuar pedido de concessão de exploração à Direção-Geral de Energia e Geologia.
Esta semana, os autarcas de Vila Pouca de Aguiar reuniram com representantes do Ministério da Economia e a espanhola Confederación Hidrográfica del Duero para falarem sobre a concessão de exploração de água mineral da zona do Cardal com vista ao desenvolvimento termal. “Precisamos agora do apoio dos Estados português e espanhol no que concerne a estabelecer uma gaveta financeira nos fundos de coesão para o termalismo, pois a nossa vontade e o trabalho fundamentador já o temos”, frisou Alberto Machado.

MUNDO PORTUGUÊS - ASSINE JÁ

Medalha de Mérito das Comunidades


Maior Onda surfada do Mundo


Mundo Português TV


Mundo Português APP





Meteorologia

Marcas Grupo