edição digital

DGS lançou o Novo Programa Nacional de Vacinação

03/01/17 ATUALIDADE Imagem

Arrancou este mês e traz novidades, como a introdução da vacina contra a tosse convulsa para mulheres grávidas e a administração da BCG apenas para grupos de risco.

Mas há mais. O Programa Nacional de Vacinação 2017 (PNV 2017), lançado pela Direção Geral de Saúde (DGS) antecipa dos 13 para os 10 anos, a idade em que as meninas devem tomar a primeira dose da vacina contra o vírus do papiloma humano (HPV) - a principal causa do cancro do colo do útero.
A atualização do PNV destaca novos esquemas de vacinação em função da idade e do histórico vacinal anterior e define tomas específicas para grupos de risco ou em circunstâncias especiais.
Uma das principais alterações é a administração de uma vacina hexavalente aos bebés entre os dois e os seis meses. A hexavalente reúne seis vacinas numa só: contra hepatite B, a doença invasiva por Haemophilus influenzae, a difteria, o tétano, a tosse convulsa e a poliomielite. Aos 18 meses de idade os reforços da vacina contra a difteria, tétano e tosse convulsa, da vacina contra a doença invasiva por Haemophilus influenzae b e da vacina contra a poliomielite fazem-se com uma vacina combinada pentavalente.

Tosse convulsa: vacina gratuita para grávidas
Outra alteração é a inclusão no PNV da vacinação das gravidas contra a tosse convulsa. Deverá ser ministrada entre as 20 e as 36 semanas de gestação e o seu custo passa, assim, a ser suportado pelo Estado. A tosse convulsa, conhecida também como 'coqueluche', tem, tradicionalmente, uma maior incidência nos bebés e crianças pequenas e até aos 6 meses de idade pode ser uma doença grave. Como os bebés não devem ser vacinados antes dos dois meses de idade, a vacina é administrada à mãe no final da gravidez.
Aos 5 anos de idade passa a ser feita a segunda dose de vacina combinada contra o sarampo, parotidite epidémica e rubéola e fazem-se os reforços da vacina contra a difteria, tétano e tosse convulsa e da vacina contra a poliomielite. E aos 10 anos de idade, as raparigas fazem a primeira dose de Hpv9, a vacina contra infeções por vírus do Papiloma humano de nove genótipos. É mantido o esquema de duas doses, com intervalo de seis meses.
Para garantir uma proteção mais efetiva e duradoura, para algumas vacinas a DGS recomenda doses adicionais. Por isso alerta para o reforço das vacinas contra o tétano e difteria, em doses reduzidas, aos 10, 25, 45, 65 anos de idade e, posteriormente, de 10 em 10 anos.
Os adultos que nunca foram vacinados contra essas doenças, que desconheçam se algumas vez receberam as vacinas ou se foram imunizados de forma incompleta, deverão ser vacinados até completarem três doses. “Recomendando-se um intervalo de quatro a seis semanas entre a primeira e a segunda doses e de seis a 12 meses entre a segunda e a terceira doses e a continuação dos esquemas recomendados para os reforços durante toda a vida”, alerta a DGS no documento de apresentação do PNV 2017.
O novo Programa prevê também o fim da vacinação universal com a BCG, contra a tuberculose: apenas serão vacinadas com a BCG as crianças que pertencem a grupos de risco para a tuberculose ou as que vivem numa determinada comunidade, com uma elevada incidência da doença.
Às pessoas com risco acrescido para determinadas doenças, recomendam-se ainda as vacinas: contra tuberculose, infeções por Streptococus pneumoniae, conhecida informalmente como Pneumococo (é uma das principais causas de pneumonia e meningite em adultos) e doença invasiva por Neisseria meningitidis do grupo B (causadora da causam meningite meningocócica).
A DGS alerta ainda que a vacinação no primeiro ano de vida “deve ser escrupulosamente cumprida nas idades recomendadas, sem atrasos”, já que os primeiros 12 meses de um bebé são a idade de maior vulnerabilidade, “requerendo imunização precoce, para evitar as respetivas doenças que podem ser graves”.
O Programa Nacional de Vacinação foi criado em Portugal há mais de 50 anos, sendo gerido desde então, no plano estratégico, pela DGS. "Sublinhamos que uma elevada cobertura vacinal permite imunizar quem é vacinado mas também evitar a propagação de doenças, uma vez que a imunidade de grupo impede a circulação de agentes patogénicos", alerta a DGS no documento de apresentação do programa, onde recorda que o PNV já mudou o perfil das doenças infeciosas em Portugal, já que “reduziu a mortalidade infantil, erradicou a varíola, eliminou a paralisia infantil, a rubéola, o sarampo”.

Ana Grácio Pinto

SISAB Portugal

MUNDO PORTUGUÊS - ASSINE JÁ

Medalha de Mérito das Comunidades


Maior Onda surfada do Mundo


Mundo Português TV


Mundo Português APP





Meteorologia

No nosso Facebook...

Mario Fazenda

Parabéns ao Mundo Português


Vicentina Coelho

o + importante de tudo é voces publicarem a historia,, e lindo


Alvaro Rodrigues

Bom Dia para todos voces desse Mundo Português. Saudades desse lindo Porto que eu vivi nos meus anos de 50 a 1955. Um grande abraço e continuem mandando lindas fotos.


Maria Aurora Ribeiro

Um domingo maravilhoso para todos nós Portugueses espalhados pelo mundo eu moro no Brasil tenho muita saudade da minha terra natal beijinhos


Maria Isilda Sousa Faria

Muitos saludos aos portugueses pelo mundo fora desde caracas venezuela


Fatima Alves de Andrade

Felicitacoes! Temos que celebrar o que e nosso.


Ailton Aurora Alves

Bom dia e boa tarde para meu Portugal que amo de paixão !!!! muitos beijos para todos os Portugueses


Ayelen De Jesús Correia

Muitos parabéns ao Dr Carlos Morais, pelo trabalho realizado para o benefício da comunidade Português no mundo. Um prazer ter conhecido a o Sr Carlos e tudo o equipe do O Emigrante/ Mundo Português.


Jose Maria Monteiro

11.10.15 - Da cidade de CALW - Alemanha BADEN WURTENBERG Bom dia para todo o Mundo e, um bom Domingo para todos os meus amigos !!!


Armando Figueiredo

Johannesburg, Africa do Sul... Tempo maravilhoso,..um optimo dia pessoal!...


Silvia Leiva

olá! desde Santa Fe, na Argentina,um beijo para todos os portugueses. cá, esperando que a primaveira chegue de verdade :P faz frio ainda!!!!! carinhossss


Isabel Loyola

Parabéns pela página! Sou brasileira de Curitiba e leio-a com imenso prazer.


Maria Esteves?

Desejo a todos os emigrantes portugueses muita sorte e muita saúde


Maria Clara

Obrigada por esta página; pois tudo q diz respeito a Portugal me interessa, pois eu moro no Brasil; um abraço.


Maria Rosa

Muito bom mesmo!!! Meus parabéns a todos, tenham um bom dia.




Marcas Grupo